The Riders Histories
Histórias Notícias

100mil KM na Boulevard M1500 – Bressan El Bando

Após a parada em Perdões, para abastecer e lanchar, dei uma olhada no odômetro pra conferir e agora falta pouco para “virar a contagem”. Coisa velha isso, da época dos rotativos. Os novos digitais não “viram”, não “zeram”, apenas acendem friamente mais um dígito no painel.

Segui pela Fernão Dias, já anoitecendo. Por isso abandonei a idéia de ir pela terra para São Tomé das Letras, então segui pelo asfalto mesmo pra Três Corações, entrando no trevo da área industrial. Peguei a MG-167 pra Cambuquira, e faltando 5Km para a cidade, o momento mágico dos 100mil Km na Boulevard M1500. Talvez a primeira do país a chegar nessa Km, mas isso é o de menos. O importante é comemorar a robustez e confiabilidade da moto, que nunca precisou de NADA fora da manutenção básica. Comprei ela no RJ, zerada, assim que baixou de preço após o lançamento. Nunca mais viu concessionária! Rotina de manutenção simples: óleo e filtro a cada 3000Km (conforme o manual), e revisão COMPLETA a cada 15mil Km. E completa quer dizer que desmonta TUDO, só deixando o motor no quadro. Lubrifica tudo, engraxa tudo, troca os fluidos de bengala, freio, etc. Sabem o que ela mais trocou nestes anos? O rolamento superior da mesa do guidão. A moto é pesada, passei por muita estrada remendada e umas terrinhas, e isso desgasta o rolamento. A estradinha é estreita e sem acostamento, mas no ponto dos 100mil havia um espaço de terra ao lado, como uma pequena rua marginal, e ali que parei, fotografei, filmei, pra relembrar esse momento. E no alto-falante a música After Dark, tema da apresentação sensual de Shalma Hayek no filme Um Drink no Inferno, completou o quadro.

De Cambuquira segui pela BR-267 até Caxambú. Tempo bom, lua cheia, visibilidade boa, mas já cansadão. Fui devagar serpenteando pela estrada sinuosa. Friozinho gostoso e o rock rolando alto nos falantes. Não tinha mais pressa, pelo horário já não ia mais descer a Serra da Mantiqueira. Finalmente entrei em Caxambu. Já havia passado pela entrada duas vezes, vindo de Cruzília e indo para São Lourenço, ou vindo de Campanha e indo para Juiz de Fora, mas nunca tinha entrado. Uma cidade famosa também pelas suas fontes de água mineral, assim como São Lourenço. Um frentista indicou um hotel bom e barateiro, e sem seguida já estava descansando de mais um dia divertidíssimo na estrada. Ao todo neste dia foram 920Km em 15h.

(trecho do relato da viagem Brasilia – Vassouras – Brasilia, neste feriadinho de 21/04/16)

Notícias relacionadas

GUIAS DE CRISTO – JOINVILLE

The Riders

ANIVERSÁRIO DE 05 ANOS DO MOSCAS MOTO GRUPO – PALUDO GOURMET

The Riders

My Big DreaM – Nossa História

The Riders