The Riders Histories
Mundo Speed

LANÇAMENTO: KAWASAKI NINJA 400 – A EVOLUÇÃO NÃO PARA

– Inspirada em conquitas nas pistas e no que há de melhor na Família Ninja, novo modelo se destaca pela relação peso x potência, já que ficou 4 kg mais leve e 9 cv mais potente

– Esportiva estará disponível na rede de concessionárias a partir da segunda quinzena de setembro com Preço Público Sugerido de R$ 23.990

Há exatos 10 anos a Kawasaki dava vida a um produto que criaria um novo segmento de mercado. O ícone Ninja passaria a estar disponível para um número maior de consumidores com o lançamento de uma versão de entrada. Na época, a Ninja 250R não era apenas a única de seu tipo, mas oferecia um interessante pacote para pilotos iniciantes e até aos mais experientes: esportividade no estilo e na performance advinda de uma linhagem mais que consagrada, com uma pegada divertida e amigável. Estava então lançado um movimento mundial que, mais uma vez, reforçava a atitude inovadora da marca.

Nesta última década, o número de motos esportivas carenadas concorrentes cresceu consideravelmente, fazendo com que fosse uma das categorias mais disputadas do mercado de duas rodas no mundo. Nesse período, a Kawasaki impulsionou novamente a evolução do segmento, primeiro com o lançamento da versão de 300 cm3em 2012, que trouxe à época várias novidades, entre elas a embreagem deslizante disponível apenas em motos de alta cilindrada, e, agora, em 2018, com mais um novo capítulo chamado Ninja 400.

Como não poderia ser diferente, a 400 cc mantém o estilo esportivo que é assinatura da Família Ninja com uma pilotagem fácil e ao mesmo tempo emocionante, características importantes para uma motocicleta dessa categoria. O desempenho é superior graças aos novos motor e chassi, trazendo mais potência com menos peso, elevando o nível da categoria. Afinal, agora são 8 kg a menos do que na Ninja 300 (similar ao peso de uma monocilíndrica) com 9 cv a mais.

O bicilíndrico de 399 cm3é totalmente novo e foi projetado visando evolução na performance, otimização de tamanho e peso e eficiência de consumo. Houve mudanças no design, incluindo nova admissão de ar, e inúmeros outros esforços para redução de peso, apesar da capacidade cúbica maior. O resultado é um motor compacto e leve (equivalente a um 250cc) que apresenta equilíbrio entre performance e controle, oferecendo maior desempenho em todas as faixas de rotações em comparação à Ninja 300, com uma entrega de potência linear e suave e bom torque desde baixas rotações.

O novo chassi da Ninja 400 tem design semelhante ao da H2 em estilo supersport, ou seja, com distância entreeixos mais curta e braço oscilante mais longo, complementado por um ângulo de cáster menor. Para este projeto, uma extensa análise de rigidez dinâmica foi realizada pela Kawasaki para alcançar a solidez ideal, mantendo o baixo peso. E este trabalho resultou num chassi estável e leve, facilitando o controle durante a pilotagem ou mesmo o manuseio da moto desligada.

E com novos projetos de motor e chassi foi possível otimizar o posicionamento do propulsor, montando-o como parte da estrutura para aumentar a rigidez do conjunto e reduzir peso. Mais uma semelhança com a Ninja H2 vem da montagem do braço oscilante, agora fixado à parte traseira do motor. Isso siginifica maior estabilidade e nova diminuição de peso, já que elimina a necessidade de componentes.

Outro ponto de destaque: a nova Ninja 400 possui os maiores discos de freio da categoria. Medindo 310 mm (mesmo tamanho dos utilizados na Ninja ZX-14R), o disco frontal semi-flutuante oferece alto poder de frenagem. Um novo cilindro mestre do freio dianteiro contribui para melhor controle, enquanto as dimensões e o material da mangueira foram cuidadosamente selecionados, auxiliando o acionamento mais preciso. O ABS usa a mais recente unidade da Nissin, a mais compacta e leve disponível.

Em comparação com outros modelos que apresentam uma posição de pilotagem mais extrema, comprometendo o conforto, na nova Ninja 400 a acomodação elevada das mãos e a pedaleira levemente à frente fazem com que o motociclista controle a moto de forma mais natural e confortável, o que favorece a pilotagem diária ou em longas distâncias e também atende a uma gama diversa de pilotos com estaturas e estilos de pilotagem diferentes.

Qualquer Kawasaki Ninja já criada sempre impressionou pelo design e a 400 mantém a tradição. Ostentando um estilo futurista inspirado na Ninja H2 (ainda mais evidente na carenagem frontal e na rabeta), apresenta um corpo de aspecto volumoso, dando a impressão de ser uma motocicleta maior. Essa ideia é reforçada pelo excelente acabamento, comparável a motos de maior cilindrada. Destaque também para os faróis de aparência mais esguia, em LED (cada um com feixes baixo e alto) altamente visíveis, oferecendo iluminação significativamente maior, o que favorece a segurança.

A Ninja 400 é equipada com o mesmo painel de instrumentos da Ninja 650, mais um reforço da qualidade e do aspecto premium do novo modelo. De design sofisticado, possui um grande tacômetro ladeado por lâmpadas de advertência em um lado, e tela LCD multifuncional no outro.

A nova Ninja 400 estará disponível na rede de concessionárias da marca a partir da segunda quinzena de setembro com Preço Público Sugerido de R$ 23.990 (sem frete) para a versão ABS nas cores Lime Green e Metallic Spark Black e de R$ 24.990 (sem frete) para a versão Lime Green – KRT Replica, que traz a tradicional cor da Kawasaki e grafismos exclusivos.

DETALHES TÉCNICOS

MOTOR

  • O deslocamento de 399 cm³ da Ninja 400 vem de um diâmetro de 70,0 mm e curso de 51,8 mm.
  • Coletor de admissão fornece um caminho mais curto e mais direto para a entrada de ar no cilindro, melhorando a eficiência de enchimento e contribuindo para o aumento da potência do motor, especialmente em altas rotações. Ajuda também no layout do chassi, liberando espaço sob o assento, o que resulta num design que oferece fácil acesso ao solo.
  • Uma caixa de ar maior (5,8 litros conta 4,7 litros da antecessora) e mais alta garante espaço suficiente para o sistema de admissão. Os funis possuem alturas diferentes, contribuindo para a resposta suave do motor, permitindo melhor refinamento da entrega de torque. Esse novo design melhora a eficiência na admissão e elimina ruídos indesejados, permitindo que piloto e passageiro ouçam com mais nitidez a nota de admissão do motor durante a aceleração.
  • Válvula do corpo de borboleta maior (32 mm) ajuda a fluir mais volume de ar, contribuindo para um forte desempenho em altas rotações.
  • Graças ao potencial de uma moderna injeção e à experiência da Kawasaki, os sub-aceleradores usados na antecessora da Ninja 400 puderam ser eliminados, economizando peso na nova versão.
  • Injetores de atomização fina contribuem para a eficiência da combustão. Foram posicionados mais próximos dos dutos de admissão para permitir que borrifem combustível diretamente na câmara de combustão, contribuindo para o aumento da eficiência da queima e uma resposta linear do acelerador.
  • Árvore do comando de válvulas forjada – normalmente vista apenas em motos de maior cilindrada – contribui para a redução de peso, economizando outros 200g.
  • Jatos de óleo arrefecem a parte inferior dos pistões, permitindo um design compacto.
  • O volante do motor mais leve permite uma resposta mais imediata e direta do acelerador. Isso também contribui para a economia de peso.
  • Um sistema de escape simplificado, que traça agora uma linha mais reta e que possui espessura de apenas 0,8 mm, contribui ainda mais para a redução de peso.
  • A nova capa da ventoinha localizada atrás do radiador direciona o ar quente para os lados, ajudando a afastá-lo do piloto, reduzindo assim o desconforto em tráfego pesado. Redirecionar o ar também ajuda a manter o tanque, o chassi e outras partes que entram em contato com o motociclista mais resfriadas.

Design Compacto

  • A realocação de componentes como a corrente de comando ajudou a manter o propulsor mais baixo e a deslocar volume para a frente.
  • O cilindro é inclinado para frente em um ângulo de 20 graus, resultando em um motor mais curto.
  • O projeto revisado do cárter permite um direcionamento mais direto dos tubos de escape, também contribuindo para a economia de peso.
  • O layout do sistema de arrefecimento foi completamente revisado realocando components para economizar peso e reduzir a tubulação externa.
  • As mudanças que contribuem para a redução de peso do motor incluem:
  • Eliminação dos sub-throttles
  • Rota mais simples para o sistema de arrefecimento, com menos líquido
  • Embreagem mais compacta
  • Paredes mais finas do sistema de escape
  • Redução de conexões do escapamento
  • Volante mais leve e virabrequim revisado
  • Comando de válvulas forjado

TRANSMISSÃO E EMBREAGEM

  • As relações de marcha mais próximas promovem trocas suaves.
  • Embreagem assistida deslizante mais compacta (de 139 mm para 125 mm) oferece uma alavanca 20% mais leve.
  • Quando o motor está acelerando normalmente a embreagem funciona com assistência; já quando ocorrer freio-motor excessivo como resultado de reduções de marcha rápidas o efeito deslizante entra em ação, evitando que o pneu traseiro derrape.

CHASSI

  • Com novos motor e chassi, o posicionamento do propulsor pode ser otimizado. O chassi da Ninja 400 agora tem um estilo supersport com entreeixos curto e um braço oscilante longo.
  • Entreeixos mais curto (de 1.405 mm para 1.370 mm) contribui para uma pilotagem leve e fácil.
  • A posição otimizada do pivô do braço oscilante contribui para uma condução realmente derivada de uma superesportiva.
  • Além de contribuir para a redução de peso, o uso do motor como parte estrutural ajuda a obter a rigidez ideal para estabilidade.
  • O design mais leve dos novos motor e chassi, além de grandes esforços para minimizar o peso, resultam em uma Ninja 400 de apenas 164 kg (8 kg a menos que a Ninja 300), ou seja, na mesma faixa de peso de modelos monocilíndricos.
  • Além dos novos motor e quadro, outras mudanças que contribuem para a redução de peso do chassi incluem:

-Fixação do motor

– Entreeixos mais curto

– Novo design de roda

– Pneus radiais

SUSPENSÃO

  • Garfo de suspensão de 41 mm mais rígido (antes 37 mm) proporciona uma ação mais eficiente e precisa. A roda dianteira parece realmente “plantada” na trajetória, as mudanças de direção são feitas facilmente.
  • O ângulo de inclinação mais acentuado do cáster contribui para o manuseio leve.
  • Os links revistos e os ajustes da suspensão traseira contribuem para a sensação de condução de alta qualidade.
  • 5 ajustes de pré-carga permitem que o piloto regule a rigidez e o deslocamento para adequar a configuração ao peso corporal ou quando estiver com garupa.

FREIO, RODAS E PNEUS

  • O disco dianteiro semi-flutuante maior (310 mm) tem o mesmo tamanho do utilizado na Ninja ZX-14R.
  • Recém-projetado, o cilindro mestre do freio dianteiro ajuda a eliminar o curso morto, contribuindo para o controle.
  • Na traseira, o disco de 220 mm é acionado por uma pinça com dois pistões maiores (de 25,4 mm para 27 mm).
  • As dimensões e o material da mangueira de freio foram cuidadosamente selecionados para oferecer precisão e uma sensação mais direta.
  • Rodas de cinco pontas semelhantes às da Ninja 650 contribuem para o baixo peso, enquanto a rigidez lateral otimizada beneficia o manuseio, aumentando a estabilidade nas curvas.
  • Pneus radiais oferecem leveza, excelente aderência e colaboram para o manejo ágil e o conforto na pilotagem. Além disso, o pneu traseiro de 150 mm contribui para o design mais imponente.

ERGONOMIA

  • A carenagem de maior volume da Ninja 400 oferece excelente proteção contra o vento, contribuindo ainda mais para o conforto na estrada. Mas em vez de bloquear completamente o vento, a carenagem promove um fluxo de ar constante em torno do piloto. O design também ajuda a extrair ar quente para fora do compartimento do motor.
  • Os comandos do guidão estão posicionados mais próximos do que na Ninja 300, contribuindo para o conforto.
  • O tanque de combustível é mais estreito onde ficam posicionadas as pernas do piloto, proporcionando bom contato com a moto.
  • A altura do assento é a mesma da Ninja 300, mas graças ao design estreito está mais fácil para os pés do motociclista alcançarem o solo.
  • As pedaleiras estão posicionadas ligeiramente mais à frente, colaborando para uma posição de pilotagem confortável, e estão fora do caminho quando o motociclista quiser colocar os pés no chão.

 

ESTILO

  • O corpo mais volumoso da Ninja 400 a faz ter a aparência de uma moto de maior cilindrada, enquanto o design da nova carenagem frontal reflete o aspecto de desempenho esportivo da moto e a identifica instantaneamente como autêntica Kawasaki.
  • Spoilers na parte inferior da carenagem dianteira foram inspirados na Ninja H2 e na Ninja ZX-10R.
  • Os espelhos com novos suportes estão posicionados mais afastados, oferecendo maior campo de visão.
  • As luzes de direção dianteiras são embutidas, para uma aparência elegante e unificada.
  • O compacto design do pára-lama dianteiro, assim como o tanque de combustível mais inclinado à frente, adicionam esportividade ao visual da Ninja 400.
  • A rabeta apresenta o mesmo estilo da Ninja H2, com luzes de direção mais afiladas. O design da lanterna em LED vem da Ninja ZX-10R.

 

PAINEL

  • O painel conta com tela de LCD em display negativo que, além do velocímetro digital e do indicador de marcha, inclui as seguintes funções: hodômetros total e dois parciais, autonomia restante, consumos médio e instantâneo, temperatura externa, temperatura do líquido de arrefecimento, relógio e indicador de pilotagem econômica.
  • O cuidado no cabeamento dos fios resulta em uma área de painel clean e sem interferências.

 

ALGUNS RECURSOS DE CONVENIÊNCIA

 

  • O assento dianteiro pode ser facilmente removido puxando um cabo localizado sob o banco traseiro, facilitando o acesso à bateria.
  • O espaço de armazenamento sob o banco tem dois níveis para um uso mais eficiente do local, suficientemente grande para acomodar uma trava de segurança em “U”.
  • Pontos de fixação nos suportes de pedaleira traseiros e na parte de baixo da rabeta facilitam a amarração da bagagem.

Notícias relacionadas

Honda ML 125 ano 1987 permanece 0km até hoje

The Riders

Ducati lança edição de 25 anos

The Riders

Márquez bate Dovi, vence em Aragão

The Riders